BOLSAS RECUPERAM DA MAIOR QUEDA DO MÊS

Lisboa também arrancou em alta impulsionada pelo BCP

O PSI 20, o principal índice português, somava 0,25% para os 5.113,56 pontos, depois de ontem ter afundado mais de 2%. Ao mesmo tempo, os principais mercados accionistas europeus também iniciavam a sessão em alta, recuperando assim de parte da maior queda do mês registada ontem.

E se ontem a pressão vendedora incidiu sobretudo sobre o sector bancário – na sequência da multa imposta pelos reguladores dos EUA, Reino Unido e Suíça a alguns dos principais bancos por fraude no mercado cambial -, é ele hoje que dá algum suporte para estes avanços. Na bolsa lisboeta, o BCP via as acções acelerarem 2,95% e o BPI e Banif somavam ambos mais de 1,5%. Lá por fora, o KBC Groep disparava 4%, ao mesmo tempo que outros bancos italianos avançavam mais de 1%.

Por seu turno, a PT SGPS alcançava uma desvalorização ligeira até aos 1,446 euros, mantendo-se, porém, a negociar quase dez cêntimos acima da proposta de Isabel dos Santos, numa altura em que há em cima da mesa duas ofertas sobre os activos portugueses da Oi: uma da Altice e outra dos fundos Apax e Bain.

Outra acção que condicionava o benchmark nacional era a Jerónimo Martins, cujos títulos perdiam cerca de 0,5% depois de ter anunciado, no dia do investidor da Biedronka, que planeia investir 800 milhões na Polónia até 2017.

“As primeiras horas de negociação serão marcadas pela publicação da inflação relativa a alguns países europeus”, referiam os analistas do BPI Ângelo Mea e Inês Souto de Moura, no Diário de Bolsa.

“A questão da Ucrânia e a situação económico-financeira da Rússia são dois temas entrelaçados que vieram novamente à ribalta nos últimos dias. Ontem, diversas fontes de informação reportaram que colunas militares russas tinham entrado no leste da Ucrânia”, acrescentaram.

Fonte: Económico